Promotor interfere em eleição da Câmara e vereadores querem que ele seja investigado pela Procuradoria Geral da República

Foi aprovado durante a sessão desta quinta-feira (19/11), após ampla discussão, o Requerimento 2449/2015, de autoria conjunta dos vereadores Marinho Marte (PPS), Francisco França (PT) e José Crespo (DEM) que prevê a constituição de uma Comissão Especial de Vereadores, composta pelos três parlamentares, para representar junto ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o promotor Orlando Bastos Filho, solicitando a abertura de processo investigatório disciplinar contra o promotor junto ao órgão presidido pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

O requerimento recebeu parecer jurídico contrário, mas foi aprovado pelos vereadores após emenda aglutinativa alterando a comissão especial, inicialmente de representação, para Comissão Especial de Vereadores. Marinho, Crespo e França ressaltaram que a viagem a Brasília não trará gastos ao Legislativo, pois as despesas serão custeadas pelos próprios parlamentares.

Os vereadores consideram que o promotor cometeu infrações ao investigar um suposto esquema de compra de votos para a eleição do presidente da Câmara Municipal, notícia dada em primeira mão por este blog e pela coluna O Deda Questão no Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz). Na avaliação dos vereadores, ao tornar pública a investigação, que teve por base denúncia anônima além do mais, o promotor claramente interferiu no processo eleitoral, deixando assustados especialmente os vereadores de primeiro mandato.

Comentários

Leia também