Promotor sorocabano recebeu super-salário em outubro. Ele critica a falta de contexto para explicar as razões de ter recebido mais de R$ 100 mil e vê maldade na publicação

OrlandoBastos14514

Reportagem publicada originalmente na Agência Pública, por Daniel Mello e Elaine Gonçalves, e republicada pelo blog Justificando da revista Carta Capital, que é onde tive contato com a informação, mostra o que os autores chamam dos super-salários que alguns promotores de justiça do Ministério Público de São Paulo receberam durante o mês de outubro passado. Entre eles está o sorocabano Orlando Bastos Filho.

 

A reportagem informa que ele é o terceiro membro entre os 2015 promotores do MP paulista com maiores vencimentos no mês de outubro quando ele recebeu R$ 107 mil brutos (sem os descontos dos impostos). Nesse valor estão incluídos R$ 64.901,22 de indenizações não discriminadas além de R$ 7.864,41 retroativos da PAE (Parcela Autônoma de Equivalência) que se somaram ao seu salário mensal de R$ 28.947,65.

 

A reportagem cita outros promotores, entre eles mais um que atua na Promotoria de Justiça de Sorocaba: Maria Aparecida R.M. Castanho. Ela também tem o salário de R$ 28.947,65, mas em outubro recebeu R$  87.078,36.

 

A reportagem de Daniele Elaine lembra que em 2015, Orlando Bastos Filho acirrou os ânimos dos vereadores do município ao iniciar uma investigação sobre seus gastos com despesas de telefone, carro oficial e itens de escritório. Ouve também professores de ética, promotores aposentado e cita que somam-se benefícios ao salário de cada promotor como vale-alimentação, auxílio-moradia, auxílio-livro, auxílio-funeral, pagamento de diárias, remunerações retroativas, duas férias anuais.

 

Orlando Bastos Filho

 

Até pelo fato de atuar diretamente com o que fazem os políticos, meu acesso ao promotor Orlando Bastos é mais fácil e foi com ele que debati para entender o que levou ele a receber este super salário, superior a R$ 107 mil, em outubro.

 

Deda Benette: Você leu isso (http://justificando.cartacapital.com.br/2016/12/12/direito-ou-privilegio)? Você é citado como tendo recebido mais de 100 mil reais de vencimento num único mês.

 

Promotor Orlando Bastos: Salvo engano,  é um blog de ex servidor do MP, ou promotor,  que só serve para fustigar a instituição. Isto posto,  o fato é verdadeiro. Só não fala,  que o valor se deve a férias atrasadas a que fazia jus, e que por interesse público,  fui impedido de gozar. O estado me devia esses valores há anos, e tive enormes prejuízos com a demora,  de anos, no pagamento. É maldade pura, que passa informação parcial e maliciosa. Quem dera recebesse isso, ou, ao menos,  em dia. Note, também,  que ele fala em bruto. Não fala de 27,5% na fonte,  nem 11 de previdência,  além de outros descontos. Minhas férias vão embora nos descontos. Na verdade dei azar de o cara fazer a análise justamente no mês em que recebi férias antigas. Aliás,  me pagaram só  70 dias. Tenho muito mais a receber,  ou seja,  nem foi quitada a dívida integral.Mas nada se dá por acaso.  O cara sabia o mês que amortizam dívidas no MP.

 

Deda Benette: O fato é que nesse ambiente de ebulição todo agente público é levado à vitrine. Faz parte.

Promotor Orlando Bastos: Se a coisa fosse séria (publicação original) bastava me ouvir, como você fez. É normal,  e,  pessoalmente,  não vejo problema. Pela lei da transparência,  minha declaração de bens é pública e acessível a todos. Nem sei se os autores são imprensa, mas não critico imprensa,  nunca fiz,  é testemunha.  Só acho que antes de ser citado eu poderia ter sido ouvido. Mas entendo que está publicação foi má intenção mesmo. É só pegar outros meses, todos os outros, e não terá super-salário algum.

 

 
Comentários

Leia também