Secretário dá entrevista ao vivo e descarta implantação do segundo restaurante Bom Prato e esbanja sinceridade ao não saber do Vila Dignidade, projeto que está atrasado há 3 anos

Felipe Sartori Sigollo, secretário adjunto da Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo, foi um dos convidados de hoje do Jornal da Ipanema (FM 91,1Mhz) e ocupou um espaço da coluna O Deda Questão onde ele revelou que se encontraria com o prefeito Pannunzio para trazer R$ 1.6 milhão de recursos para área de recuperação e cuidados dos viciados em drogas e mais de R$ 700 mil para três entidades assistenciais da cidade, entre elas a Afissore (Lábio Palatais). Falou que não recurso para a implantação do segundo restaurante Bom Prato na cidade, mas deixou aberta a janela de que isso poderá ocorrer se a prefeitura participar do custeio de manutenção do projeto. E foi surpreendido sobre a Vila Dignidade. Teve a sinceridade de dizer que iria se informar a respeito, mas deixou claro que este projeto (que é da Habitação) também terá a parceria da sua pasta.

O Vila Dignidade foi licitado em 2012, deveria estar pronto em setembro de 2013 e virou mais uma das promessas do governador Alckmin que nunca saíram do papel na região. Inicialmente a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) teve problemas com a construtora e depois com a burocracia que impediu uma nova licitação. Mas já se passaraqm 4 anos desde a licitação. Se houvesse vontade, tempo não faltou para resolver o problema.

O Vila Dignidade é um programa habitacional do governo estadual voltado aos idosos de baixa renda das cidades paulistas e em Sorocaba o condomínio será composto por 20 moradias. Os beneficiados pelo programa devem ser indicados pela prefeitura de Sorocaba. Cada unidade poderá ser ocupada por até dois idosos em arranjo familiar.

Se o programa faz falta? Veja o imbróglio envolvendo a determinação da justiça para abrir há 9 meses o senhor Antônio Paulino Fogaça 72 anos. O advogado Anselmo Bastos já pediu a prisão do prefeito Pannunzio, da vice Edith e mais recentemente do secretário da Saúde, Francisco Antônio Fernandes por descumprirem ordem judicial há 9 meses.

Comentários

Leia também