Sindicalista ataca blogueiro ao invés de explicar a servidor demissão em estágio probatória

Servidor público da Prefeitura de Sorocaba externou a Salatiel Hergezel, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos e militante do PC do B, sua preocupação sobre a possibilidade da Prefeitura demitir os mais de 1000 funcionários em estágio probatório. Veja o que ele respondeu: “Bom dia (…), tudo bem? Isso é uma mentira. Um absurdo. Primeiro porque para existir a demissão do servidor público em estágio probatório, ou não, a prefeitura precisa chegar ao limite do índice de 54% no total da Folha de Pagamento que é o que determina a Lei de Responsabilidade Fiscal. E a prefeitura de Sorocaba tem um gasto hoje com a folha de pagamento que é de 45%. Então o Tribunal de Contas e o Ministério do Trabalho nunca permitiriam uma demissão nesse caso. Segundo aspecto, esse boato quem soltou foi o Deda. E o Deda nem jornalista é. É um blogueiro fofoqueiro que trabalha na rádio Ipanema para falar bem do prefeito. Então ele fica colocando coisa da cabeça dele só para colocar o servidor em dúvida. Então tranquilidade que isso não vai acontecer não. Até mais, um abraço.”

Se vai acontecer ou não, nem ele e nem eu sabemos. Essa é a verdade que externei e reafirmo: Na chamada luz amarela da Lei de Responsabilidade Fiscal (quando a folha consome 48% da arrecadação) a Prefeitura se vê obrigada a agir. No caso de Sorocaba, vegetativamente (por causa da queda de arrecadação) a folha já subiu algo em torno de 4% isso sem contar os 3,5% que ofereceu e o sindicato recusou.

O mecanismo de extinguir cargos de quem está em estágio probatório é uma realidade. O prefeito Renato Amary usou desse mecanismo e 957 perderam seus empregos em 1997. A colocação dessa questão neste momento é, portanto, bastante plausível já que existe o impasse entre o sonho do sindicato (19% de aumento) e a realidade (3,5% oferecidos pela Prefeitura).

A verdade é que como ocorre com os fracos comandantes quando pressionados, seja em que nível for, Salatiel preferiu o óbvio e mais fácil: tentou desqualificar o mensageiro e culpa-lo pela feitura da paisagem. Mais difícil seria admitir a verdade e explicar os fatos à servidora.

Comentários

Leia também