Vice-prefeita ou presidente da Câmara assumem se o prefeito for cassado

Caso seja aprovada a cassação do prefeito Crespo ao final da Comissão Processante restará uma dúvida: quem assume?

Se não houvesse também uma Comissão Processante contra a vice-prefeita Jaqueline Coutinho, a resposta era óbvia. Seria ela a prefeita.

Porém, sendo ela também alvo de investigação cujo o resultado final poderá ser a sua cassação, por hierarquia, o prefeito de Sorocaba será o presidente da Câmara de Vereadores, Fernando Dini, cujo o mandato vai até o final de 2020.

Deixando o cargo para ser prefeito, o que é plausível diante do atual cenário, quem assumirá como presidente da Câmara? Há quem diga que é o vice-presidente do Legislativo e há quem diga que será preciso fazer nova eleição. Até esse momento chegar, obviamente, que essa dúvida estará dirimida.

Nota Oficial

Seja como for, a vice-prefeita aceitou a decisão dos vereadores e emitiu a seguinte Nota oficial: “Foi instalada nesta data a comissão processante na câmara municipal para a apuração de suposta infração politico administrativa atribuída a vice-prefeita. Venho a público informar que respeito e acato a decisão soberana da câmara municipal que me permite apresentar defesa sólida face as imputações inverídicas que foram feitas a minha pessoa com a única intenção retaliatória de macular a minha imagem. Jaqueline Coutinho – Vice-Prefeita de Sorocaba”.

Durante a sessão, quando foi lido o pedido de abertura de Comissão Processante contra ela, a vice-prefeita (Protocolo n° 1.206/2019) rebateu a acusação do munícipe Rafael Sarti, de que ela teria utilizado irregularmente os serviços de um funcionário do Saae em benefício próprio e de sua família. Mas sua manifestação prévia (assim como a contramanifestação do denunciante), no entanto, não foram lidas por não fazerem parte da peça.

Comentários

Leia também